The pursuit of happiness

segunda-feira, 28 de junho de 2010

Eu, eu mesmo e a bipolaridade


Você sabia que o Jim Carrey, astro do filme "Eu, eu mesmo e Irene" é bipolar? Aliás, ele deve ter se sentido muito a vontade no papel e nada melhor para descrever essa situação que a imagem à esquerda.

Assim como a depressão, creio que a bipolaridade é muito desconhecida e, por isso, tantos bipolares são alvos de preconceitos. Sendo que minha proposta nesse blog é pensar alto, faço audível que não sou um apenas. Não estou falando do impostor que vive em mim, aquele outro "eu" que finge ser bonzinho. Estou dizendo simplesmente que tenho uma doença mental que, se não tratada, torna-me refém de crises depressivas ou crises maníacas, aquelas em que o mundo fica pequeno.

A descoberta é recente, data de poucos meses. Já relatei sobre a depressão, e aliás, nem sabia que se tratava de bipolaridade. Mas uma crise eufórica de verdade fui ter no Rio em que senti que meu corpo ligava e desligava. Desesperado, procurei ajuda no aeroporto. Após ser bombardeado de perguntas, sumi. Quando retomei a consciência, a médica chamou-me de Michel. Esse sim, um baita impostor. Foi uma crise convulsiva e graças a Deus que não foi em uma igreja. Eles tentariam exorcizar o pobre Michel que apareceu lá devido a essa psicose.

Já bati em alguns livros para ler, mas ainda não tomei coragem. A sugestão me parece perigosa. Também não quero ficar me gloriando das loucuras, nem utilizar disso para me promover ou me esconder atrás de personagens. Também não quero "me entregar como um fraco", frase do João Alexandre. Quero minimizar o preconceito contra essa doença, assumir minha fraqueza e estar com Deus nela. Quero mostrar que a estabilização é bem possível se, com fé, seguirmos o tratamento sem bancar o herói.
Agradeço a todos que já manifestaram seu apoio. Agradeço e reconheço que preciso de vocês. Como é bom ter amigos para nos botar para cima e para baixo quando precisamos também.

Para concluir, deixo uma música bipolar no Zeca Baleiro. Vocês perceberam, se forem atentos, que os bipolares estão em todos os lugares. Também, se aprenderem a ler nosso mundo, verão que nossa sociedade é bipolar. Deixo para tratar disso em outro texto.


3 comentários:

André von Held Soares disse...

Salve, meu amigo!
Estamos aqui, sempre.
Um abraço e a paz!

Thiago M. Paixão disse...

obrigado, cara. temos pouco tempo de amizade, mas saiba que e reciproco. paz.

Fernanda disse...

Px, descobri seu blog hoje. E vim lendo sem parar até chegar nesse texto! Não sabia disso...Se precisar de alguma literatura mais clara sobre o assunto, ou tirar alguma dúvida, que esteja a meu alcance, é só falar!
Beijos