The pursuit of happiness

domingo, 1 de março de 2009

Coincidências (parte 2): palavras na areia

Bom, este texto é parte de uma série iniciada em http://thiagopx.blogspot.com/2008/09/coincidncias-parte-1-o-poder.html, que narra coincidências do meu cotidiano, geralmente algo que ouvi falar, e que de alguma forma me trouxe algum pensamento que faço questão de tornar audível.

No cenário em questão, Jesus está a ensinar um grupo de pessoas, curiosos e interessados¹. De súbito, religiosos entram em cena arrastando uma mulher flagrada em adultério. Eles questionam Jesus sobre o que fazer com a mulher. A resposta é das mais célebres: "aquele que nunca errou (pecou) que atire a primeira pedra". O detalhe da história que prende minha atenção é que, antes da resposta, Jesus estava rabiscando no chão de areia. Especulações... O que estaria escrevendo Jesus? Ouvi em janeiro que provavelmente seria a palavra GRAÇA, que significa favor, bem imerecido. Em fevereiro um orador afirmou que possivelmente se tratava de uma lista com os nomes daqueles religiosos e dos erros cometidos por eles.

Em um breve exercício de imaginação, tentei reconstruir mentalmente a cena. Seriam palavras escritas na areia ou simples rabiscos aleatórios? Imaginei... Imaginei e 'vi' círculos rabiscados, e a cada novo círculo, o traço se tornando mais forte. Era como se o Mestre dissesse: 'é tudo sempre igual' ou 'vocês não aprendem'. Após isso, o desenho de uma cruz, e em sua mente a mulher e uma contudente afirmação: 'eu estou aqui por você, eu darei minha vida por você e eu voltarei a viver por você'.

Não sei o Ele escreveu ali, mas o que mais importa é que esse Homem ainda é capaz de escrever novas histórias de vidas, de transformar rabiscos e rascunhos em arte final.

ThiagoPX

¹Evangelho de João, capítulo 8, versos 1 a 11.

2 comentários:

Mel disse...

"esse Homem ainda é capaz de escrever novas histórias de vidas, de transformar rabiscos e rascunhos em arte final." << Simm =D
Tranformar caquinho em vaso novamente (: Ouvi isso ontem.

Bacana o texto!

Celso Filho disse...

Diz um registro católico tradicional (não me lembro qual, provavelmente algum dos santos filósofos da idade média) que Ele escrevia os pecados dos doutores que acusavam à mulher.